Associação Brasileira de Justiça Terapêutica
Estatuto
Diretoria
Associe-se
Programa de Justiça Terapêutica
Artigos
Legislação
Referências Bibliográficas
Sobre drogas de abuso
Artigos
Centros de Recuperação
Links
Notícias
Fale Conosco

Padre Chagas 79 / 801
(esq. Hilário Ribeiro)
Moinhos de Vento
90580-080 Porto Alegre / RS
51 3013 8820 / 3023 8824


Parceiros:





















Pº Castellana, 150 6º Dcha
28046 Madrid
Teléfono: 91 457 50 61
Fax: 91 457 29 78
E-Mail

 


Sertralina e terapia cognitiva comportamental para alcoolistas em depressão

Sertralina e terapia cognitiva comportamental para alcoolistas em depressão

Alcoolismo e depressão são os dois maiores problemas de saúde mental identificados nos principais estudos  epidemiológicos realizados em amostras populacionais dos EUA. Os custos para a sociedade são enormes, e vão desde a diminuição da produtividade, absenteísmo, aumento da demanda de atendimento e mortalidade precoce por diversas causas.

Poucos estudos têm focado especificamente o tratamento das comorbidades e das co-ocorrências do alcoolismo com a depressão. Essas conseqüências são extremamente significativas. A depressão prevê recorrência da dependência ao álcool e vice-versa.

Alcoolistas em depressão tem uma tendência maior a desenvolverem instabilidade emocional e tentativas de suicídio, comparados à pacientes que não possuem as mesmas comorbidades. Sendo assim, há necessidade contínua de tratamento clínico e social.

As mulheres apresentam riscos elevados de desenvolvimento de depressão e, particularmente, são as primeiras a desenvolverem a doença comórbida ao alcoolismo.

Os medicamentos com atividade serotoninérgica têm um interesse especial no tratamento de alcoolistas em depressão. Estudos em modelos animais e em humanos sugerem que há manutenção importante das disfunções serotoninérgicas no início e na manutenção do alcoolismo. A inibição da recaptação de serotonina reduz o uso de álcool em pacientes sem acompanhamento médico ou em pacientes que fazem tratamento.

Esse estudo avaliou a eficácia da sertralina quando adicionada ao tratamento psicoterapêutico de pacientes que apresentavam dependência ao álcool. Para isso, durante 12 semanas, 82 pacientes alcoolistas combinaram a administração de sertralina ou placebo com terapia cognitiva comportamental.

A sertralina foi bem tolerada, e todos os sujeitos apresentaram diminuição da depressão e da dependência durante o estudo. Sujeitos que receberam sertralina beberam menos por dia do que aqueles que receberam placebo. O tratamento com sertralina foi associado também à diminuição da depressão auxiliando o tratamento de pacientes.

Título Original: Sertraline and Cognitive Behavioral Therapy for Depressed Alcoholics: Results of a Placebo-Controlled Trial
Autores: Darlene H. Moak, Raymond F. Anton,Patricia K. Latham, RN, Konstantin E. Voronin, Randolph L. Waid and Ramon Durazo-Arvizu
Fonte: Journal of C. Psychopharmacol 2003 vol. 23 pp.553–562 
F.I.: 4,432
Fonte: Centro de Informações Sobre Drogas e Álcool