Associação Brasileira de Justiça Terapêutica
Estatuto
Diretoria
Associe-se
Programa de Justiça Terapêutica
Artigos
Legislação
Referências Bibliográficas
Sobre drogas de abuso
Artigos
Centros de Recuperação
Links
Notícias
Fale Conosco

Padre Chagas 79 / 801
(esq. Hilário Ribeiro)
Moinhos de Vento
90580-080 Porto Alegre / RS
51 3013 8820 / 3023 8824


Parceiros:





















Pº Castellana, 150 6º Dcha
28046 Madrid
Teléfono: 91 457 50 61
Fax: 91 457 29 78
E-Mail

 


Entrevista com Dr. Pedro Gabriel Delgado, Coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde

Entrevista com Dr. Pedro Gabriel Delgado, Coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde

1. De que modo as propagandas de bebidas alcoólicas influenciam no consumo de álcool pela população?
 
O Ministério da Saúde tem feito esforço no sentido de regulamentar a propaganda de bebidas alcoólicas, especialmente nos meios como televisão e rádio. A preocupação principal diz respeito a alguns grupos sociais que a saúde pública considera vulneráveis: os adolescentes-jovens e crianças.
A exposição à propaganda, especialmente da cerveja, na televisão aumenta o risco do início precoce do consumo de bebidas. Ademais, consideramos também, a partir da literatura científica, que o tipo de propaganda veiculada, especialmente para cervejas, pode induzir e/ou reforçar mudanças nos padrões de consumo.
Por exemplo, o consumo mais freqüente nos fins de semana aumenta a exposição a riscos de acidentes de trânsito, outros acidentes e violência interpessoal.
A nossa avaliação é que a forma de apresentação da propaganda de cerveja na televisão induz à formação desse padrão de consumo nocivo.
A propaganda de cerveja sempre expõe pessoas, em geral jovens, consumindo de maneira contínua e excessiva.
 
 
2. Qual é o público-alvo mais influenciado por essa prática?
 
Adolescentes e jovens, por causa da exposição maciça e por conta dos apelos voltados para esse público como, por exemplo, cenas de sucesso afetivo e sociabilidade esfuziante.  
 
 
3. De que modo os pais devem agir para diminuir o impacto dessas propagandas nos adolescentes?
 
Em primeiro lugar, os pais deveriam exercer sua influência política de cidadãos para conseguir uma mudança legislativa para que se consiga um controle efetivo da propaganda. A lei existente não permite isso (lei 9.294-96). Essa lei separa cerveja de outras bebidas. Em segundo lugar, esclarecimento e orientação dos filhos quanto às propagandas.  
 
 
4. Que medidas o Ministério da Saúde propõe para lidar com a questão?
 
O Ministério da Saúde propõe mudança legislativa e aguarda a aprovação do congresso, e, juntamente com a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o Ministério da Saúde estabeleceu uma consulta pública, propondo algumas medidas práticas que atenuem o efeito nocivo da propaganda, dentro da lógica da auto-regulamentação. Propondo, assim, à indústria da cerveja e às entidades de comunicação, uma atenuação dos efeitos nocivos da propaganda.
Propomos uma espécie de código de conduta junto com as empresas de propaganda e comunicação, suprimindo o apelo sexual na propaganda e o consumo excessivo.