Associação Brasileira de Justiça Terapêutica
Estatuto
Diretoria
Associe-se
Programa de Justiça Terapêutica
Artigos
Legislação
Referências Bibliográficas
Sobre drogas de abuso
Artigos
Centros de Recuperação
Links
Notícias
Fale Conosco

Padre Chagas 79 / 801
(esq. Hilário Ribeiro)
Moinhos de Vento
90580-080 Porto Alegre / RS
51 3013 8820 / 3023 8824


Parceiros:





















Pº Castellana, 150 6º Dcha
28046 Madrid
Teléfono: 91 457 50 61
Fax: 91 457 29 78
E-Mail

 


Razões para o não-uso de drogas ilícitas entre jovens em situação de risco

Razões para o não-uso de drogas ilícitas entre jovens em situação de risco

Artigo publicado na Revista Saúde Pública aponta entre adolescentes de baixo poder aquisitivo, quais os motivos que os impediriam de experimentar e usar drogas psicotrópicas

 

Muitos fatores têm sido considerados pela literatura como fatores de risco para o uso de drogas por adolescentes. Os principais são: o uso de drogas pelos pais, a falta de integração às atividades escolares, desestruturação familiar, violência doméstica e pressão do grupo. Faz parte da vida do jovem ter conflitos psicossociais (simultaneamente psíquico e social), ter necessidade de integração à sociedade, buscar a auto-estima, ter independência familiar, e esses fatores podem torná-lo suscetível ao uso de drogas.
 

O objetivo do estudo foi identificar, entre adolescentes de baixo poder aquisitivo, quais os motivos que os impediriam de experimentar e usar drogas psicotrópicas (são drogas que atuam sobre o cérebro, alternando de alguma forma o psiquismo humano), mesmo quando submetidos a constantes ofertas. Foram entrevistados jovens adultos com idade entre 16 e 24 anos, de classe social baixa, que nunca experimentaram drogas psicotrópicas ilícitas e que fizeram apenas uso experimental de cigarro e/ou uso leve de álcool.
 

Verificou-se que os jovens residiam em locais pobres e violentos, sujeitos às condições impostas pelo tráfico. A baixa condição social e econômica são fatores importantes de risco ao uso de drogas. A pesquisa mostrou que a maioria dos não-usuários sempre viveu com os pais, enquanto os usuários, aproximadamente um terço deles, relatou não viver com os pais. Isso devido ao abandono ou indiferença dos progenitores. A pesquisa mostrou que uma baixa qualidade na relação familiar pode gerar um ambiente facilitador ao uso da droga. Os resultados mostraram que os usuários não têm um trabalho fixo e na maioria estão realizando atividades ligadas ao tráfico. Os não-usuários relataram as causas para não fazerem uso de drogas, e elas são duas: a família e a informação.
 

Observou-se que, mesmo em ambientes com poucos recursos e permeados pelo tráfico de drogas e da violência gerada por ele, foi possível a existência de jovens que nunca haviam feito o uso de drogas psicotrópicas. A postura destes jovens foi influenciada, segundo eles, por aspectos como a disponibilidade de informações, adquiridas por diálogos e observação acerca do consumo de drogas e suas complicações, e a boa interação familiar, decorrente do respeito e zelo especialmente pela figura materna. Com essas informações é possível elaborar programas de prevenção que enfatizam o sucesso por eles alcançado na tentativa de não usar drogas em comunidade submetida às Leis impostas pelo tráfico de drogas.

 

Autor: Sanchez, Zila Van der Meer; Oliveira, Lúcio Garcia de; Nappo, Solange Aparecida 

Fonte: OBID